terça-feira, 19 de junho de 2012

O mercador de Arabel. (Conto)




Sir Edgar Wyvernspur II preparou seu chá como de costume. Sentou de pernas cruzadas na maravilhosa varanda de sua mansão. Sorriu um sorriso tolo e jocoso, pensando como fora abençoado por Tymora durante esta vigília chamada vida. Todos os seus negócios mercantes estavam em ótimo curso. Seu ultimo carregamento de talheres de prata chegara em Sembia sem grandes problemas, graças aos aventureiros locais que tornaram a estrada leste novamente segura.


Sir Edgar sorriu novamente, as coisas estavam melhorando. Não conseguia acreditar que à um ano atrás a cidade estava tomada por criaturas horríveis e nefandas e agora neste momento, ele sorvia um delicioso chá de pêssego olhando as belas pavimentações da região abastada de Arabel, local onde os orcs marcharam. Sorriu novamente, aquele sorriso infantil que sorri as débeis criaturas. Sim, sou abençoado, reafirmou. De fato, o velho comerciante sabia fazer negócios como ninguém, sabia lucrar onde ninguém mais cogitava. Ele fora o único comerciante que insistiu em negociar com Sembia depois dos ataques a caravanas próximas a floresta Hullack. Perdeu muitas encomendas, é verdade, mas as que chegavam possuíam o preço triplicado. Sendo assim, era o único mercante que estava realmente preparado para a difícil viajem quando a estrada fora reaberta. Dessa maneira seus lucros despontaram amplamente quando os aventureiros da Estalagem da Magia Selvagem, literalmente limparam aquela região. Porem tudo isto estava longe agora, no passado. Não teria o homem motivo algum para se preocupar, não aqui, em sua mansão em um bairro tão importante. Sir Edgar Wyvernspur II ergueu sua xícara suavemente a boca, contudo foi interrompido por uma grande explosão de energia, que fez reverberar toda sua imponente residência. Inúmeros pratos e adornos caríssimos importados de terras distantes ruíram das paredes ao chão. Em segundos seu paraíso se tornara um caos, a propriedade de seu vizinho, a sua frente, moradia de Nahari Abhay havia sido eclipsada por uma nefasta e terrível energia negra por alguns instantes.  


2 comentários:

  1. Acho muito boas estas passagens!
    Porém minha preferida é da que explica a Dragoa Biscate.

    ResponderExcluir
  2. O Alan devia se encarnar e fazer uma da nossa sessão de RPG.. ;)

    ResponderExcluir

Vamos lá, comente e deixe sua marca no Vale dos Arcanos.